segunda-feira, 27 de junho de 2011

Eu odeio o quanto preciso de você

Um dia desses, talvez sua mágica não me afete mais, e o seu beijo não me enfraquecerá, mas antes disso, é tudo muito claro que ninguém me conhece do jeito que você me conhece. Você me fez me livrar de alguns medos, algumas neuroses, e até me fortaleceu mesmo que para isso doesse. Então você provavelmente terá sempre um feitiço sobre mim... Mas eu queria poder te odiar, odiar não, mas queria poder discutir minha razão que você sempre rouba com uma simples palavra, um simples olhar ou um rápido beijo.Você sabe exatamente o que fazer para que eu não fique brava com você por muito tempo, e isso é errado, e eu odeio isso, odeio ver você me convencendo que não merece apanhar, mesmo depois de levar uma surra, odeio quando me vejo fazendo tudo aquilo que você deseja, odeio sua cara de lesado que significa 'faz o que eu to mandando'... Você sabe exatamente como me tocar para que eu não queira discutir qualquer coisa. É tão insano... Porque quando vamos bem, somos ótimos. Parecendo discos quebrados tocando novamente. Tente me tocar, então eu posso gritar para que você não me toque, e depois disso, me empurre, na sequência do caminho destrutivo que estamos diante. Devemos ser dois psicopatas. Mas nós sabemos que não importa; o ontem não importa, o amanhã não importa, mas eu me importo com você. Eu desprezo o quanto eu gosto de você, e odeio a forma que eu preciso de você. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário